• Ararinha Azul

    Date: 2010.02.12 | Category: Mundo Animal | Tags: ,,,,,,,,,,,

    Compartilhe

    A Ararinha Azul (Cyanopsitta Spixii) vivia na Bahia, na região do vale do Rio São Francisco. É considerada uma das aves mais belas do mundo. Por isso era caçada intensamente para ser usada como objeto de decoração ou animal de estimação.

    Vítima da depredação do Planeta Terra pelos homens foi considerada extinta  em 2002, quando o último exemplar existente em liberdade desapareceu. Continua existindo em cativeiro hoje temos 78 aves espalhadas pelo mundo, sendo 8 no Brasil, 50 em Qatar, 14 na Alemanha e 6 na Espanha. Mas  sua reprodução é muito difícil nessa condição. Por isso a tendência é desaparecer definitivamente com o tempo.

    Nome popular: Ararinha azul;

    Nome científico: Cyanopsitta spixii;

    Comprimento: 27 a 57 cm;

    Peso: 296 a 400 g.

    Coloração: inteiramente azul, sendo que na cabeça o tom é um pouco mais pálido e nas asas o tom é mais escuro;

    Distribuição Geográfica: Curaçá, cidade ao norte da Bahia;

    Habitat: Mata de galeria da caatinga onde predomina a caraíba (Tabebuia caraíba);

    Alimentação: Sementes de Jatropha sp, Cnidoscolus sp; e frutos de Ziziphus sp e Maytennus sp.

    Como se pode ver pela foto, esta Arara é também única na sua aparência. O azul é de um tom diferente. chegando em algumas penas a tornar-se cinzento, cores menos apelativas do que a maioria das Araras que conhecemos. O bico é menor em relação as outras espécies e tem uma particularidade única, tem uma parte de pele nua de cor cinzento escura que vai desde a parte superior do bico até ao olho, esta parte cinzenta deixa sobressair a cor amarela da íris do olho.

    Comprimento da cauda: 35  cm

    Período de vida: Em cativeiro aproximadamente 35 anos;

    Período de incubação: de 25 a 28 dias;

    Postura: é de 3 a 4 ovos, e a maturidade sexual observada em aves cativas – é de 4 a 5 anos.

    Causas da Extinção: Esta espécie foi desaparencendo e sua população, que já era restrita desapareceu. Isso devido à captura para o tráfico de animais para servir como ave ornamental ou de estimação e também a destruição de seu habitat original.